Carrinho
Colunistas

Hidratos de carbono na gravidez… sim ou não?

561views

“Devo cortar nos hidratos de carbono?”

“Devo reforçar a alimentação neste nutriente?”

Uma das dúvidas que mais surge na consulta de acompanhamento na gravidez é como adaptar os hidratos de carbono na alimentação nesta nova fase da vida da mulher.

Os hidratos de carbono devem estar presentes na alimentação de uma mulher grávida?
A resposta é, claro que sim!
Os hidratos devem estar presentes e fazer parte da alimentação diária de qualquer pessoa, mais ainda de uma mulher grávida!
Agora quando a pergunta é se devemos reforçar muito a alimentação neste nutriente?
A resposta é não!

Durante a gravidez as necessidades calóricas não duplicam, muito pelo contrário, sofrem apenas um pequeno aumento, de cerca de 300 calorias extra por dia.
Paralelamente, a maior parte das grávidas acaba por abrandar um pouco o ritmo de vida e a carga de atividade física, o que leva a uma redução no gasto calórico diário.
Fazendo um balanço entre o aumento das necessidades e a redução da atividade física, muitas vezes o valor calórico necessário por dia acaba por não sofrer grandes alterações.

Assim, passar a fazer uma alimentação altamente rica em hidratos de carbono (que têm uma função essencialmente energética no organismo) ou aumentar muito a dose a que a mulher está habituada, não é a melhor solução. Porque isto vai levar a um aumento de peso que geralmente não se deve apenas à gravidez, mas sim ao excesso de energia extra que a alimentação passou a ter.

Então qual a dose de hidratos a ingerir?
A quantidade e distribuição dos hidratos de carbono ao longo do dia deve ser adaptado caso a caso e personalizado para cada mulher! Devem ser tidos em contar vários fatores como peso inicial e IMC da mulher, carga de exercício físico diário, atividade profissional, hábitos e base alimentar anterior à gravidez, entre outros.
O tipo de hidratos de carbono consumidos é igualmente importante.
Devem ser priorizados os hidratos de carbono complexos, como os cereais integrais, por serem mais ricos em fibra, por serem mais saciantes e por ajudarem a estabilizar os níveis de açúcar no sangue – tão importante na prevenção e controlo da diabetes gestacional.

Assim, claro que qualquer grávida deve incluir hidratos na sua alimentação, mas não é necessário redobrar a dose! Por exemplo, manter a prática de fazer um jantar leve sem hidratos, nos dias em que se deita cedo e não tem grande atividade, não só não é prejudicial, como em muitos casos pode ser mesmo benéfico!

Texto de Mariana Abecasis Nutricionista
Especialista em nutrição clínica geral e acompanhamento na gravidez e pós-parto.
Instagram: mariana abecasis nutricionista

Mariana Abecasis
Licenciada em Ciências da Nutrição pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz e Mestrada em Nutrição pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, onde desenvolveu a sua tese na área da nutrição na gravidez e pós-parto. Sendo uma das suas principais áreas de atuação na sua prática clínica.

Leave a Response

Translate »