Carrinho
Colunistas

Cirurgia íntima

733views

Como melhorar a aparência e função do órgão genital feminino

É um tema cada vez menos tabu e livre de preconceitos. A prova disso está na maior procura que se verifica ano após ano, não só em Portugal como em todo o mundo. Falamos de cirurgia íntima, um conjunto de intervenções que visam melhorar a aparência do órgão sexual feminino e melhorar a qualidade de vida da mulher.

Está longe de ser uma questão meramente estética. A cirurgia íntima pode ser a solução para melhorar a aparência do órgão sexual feminino mas também, algumas condições que podem afetar a qualidade de vida da mulher. Por se tratar de um assunto de natureza íntima é ainda, por muitos, considerado tabu e um tema envolto em preconceito. Razões pelas quais ainda há muitas mulheres que não procuram ajuda, mesmo sabendo que existe solução para as suas queixas.

Segundo os dados disponíveis, em 2015 foram realizadas mais de 95 mil labioplastias e mais de 50 mil vaginoplastias a nível mundial. Estes números refletem a elevada procura, e sabe-se que a tendência é aumentar. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética, o Brasil ocupa o primeiro lugar no que se refere ao número de cirurgias íntimas femininas realizadas, com números a rondar as 14 mil labioplastias por ano.

Porquê recorrer à cirurgia íntima?

Na realidade a cirurgia íntima nada mais é do que a melhoria estética e funcional dos genitais e, por consequência, melhor qualidade de vida, maior satisfação sexual e aumento da autoestima e autoconfiança. Entre as principais causas para recorrer à cirurgia íntima estão as seguintes:

  • Hipertrofia (aumento) dos lábios vaginais
  • Aumento do tecido adiposo supra-púbico (monte de vénus)
  • Perda de volume e flacidez dos grandes lábios
  • Alterações do introito (entrada) da vagina

Cirurgias mais procuradas

  • Labioplastia (também chamada de ninfoplastia): cirurgia que permite diminuir o tamanho dos pequenos lábios vaginais e eliminar zonas pigmentadas (escurecidas). É também realizada para corrigir assimetrias e irregularidades. Quando necessário, é eliminado o excesso de pele sobre o capuz do clitóris.
  • Clitoroplastia: é realizada para melhorar a aparência do clitóris, pela redução do seu volume e aumento da sua área de exposição.
  • Lipoaspiração da zona íntima: procedimento para eliminar o excesso de gordura na região púbica (monte de vénus) ou dos grandes lábios que, quando em excesso, é inestética e notável na utilização de roupas mais juntas e fato de banho.
  • Preenchimento dos grandes lábios vaginais: questões genéticas, processo natural de envelhecimento ou perda acentuada de peso podem causar perda de volume dos grandes lábios dando origem a flacidez e aparência “vazia” desta zona. O volume dos grandes lábios pode ser reposto com enxerto de gordura da própria paciente (cirúrgico) ou preenchimentos de ácido hialurónico específico para esta zona (não cirúrgico).
  • Colporrafia: tem por objetivo “apertar” o canal vaginal depois do relaxamento provocado, frequentemente, pelo parto vaginal. Ou seja, o objetivo é fazer com que os músculos da parede vaginal voltem a exercer as suas funções normais. A cirurgia consiste na sutura das paredes da vagina para diminuir o seu diâmetro e recuperar o seu tónus.
  • Perineoplastia: é uma intervenção cirúrgica que visa reconstituir os músculos do períneo, localizado na zona íntima feminina. É geralmente realizada em pacientes que sofreram laceração da musculatura da vagina e que pode levar à incontinência urinária que é uma situação extremamente constrangedora.
  • Himenoplastia: trata-se da reconstituição do hímen, vulgarmente conhecido como o “recuperar a virgindade”. É um procedimento simples que consiste na união das partes do hímen que se romperam mas que ficaram ainda no canal vaginal.

Resultados

As mulheres que recorrem à cirurgia íntima referem uma melhoria significativa da sua qualidade de vida, da vida íntima e da sua auto-estima. No caso da labioplastia, as mulheres conseguem realizar atividades que antes causavam dor ou desconforto e passam a sentir-se mais confortáveis e sem constrangimentos ao vestirem roupas mais justas.

Luisa Magalhães Ramos
Licenciada pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, especialista em Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética, fez a especialidade no Hospital de S. José, em Lisboa. Foi em 2012 que Luísa Magalhães Ramos fundou a LMR Cirurgia Plástica, uma das mais procuradas e conceituadas clínicas do país com uma equipa unicamente de mulheres, mulheres que fazem a diferença.

Leave a Response

Translate »